Sobre as eleições 2010, minhas reflexões – Parte 2

Eu não sei até quando vou ter ideias para escrever sobre as eleições, então não sei quantas partes vai ter isso aqui. Talvez essa seja a última, talvez não. Dependendo de como for, depois edito.

Até 2010 eu não fazia ideia do que significava PIG. Até 2010 eu não sabia que a Veja era tão mentirosa, embora um amigo meu vivesse falando que a veja era um lixo e que não falava a verdade. Aliás, foi só esses dias que eu fui perceber que o PHA que eu lia era o mesmo cara que uma vez ou outra eu tinha visto apresentando o Domingo Espetacular (sim, é verdade, podem rir).  Nessas eleições isso tudo ficou claro para mim.

Lendo os blogs “progressistas”, os blogs do lado negro da força, dos blogueiros sujos, pagos pelo governo, foi que eu percebi o quão direitista e reacionária nossa velha mídia é. A mesma imprensa que apoiava, elogiava e ajudava os militares na época da ditadura. A imprensa que concentra pessoas que chamam o golpe de revolução e a ditadura de ditabranda. A imprensa que publica pérolas do conservadorismo como Luis Felipe Pondé. Sério, esse Pondé não é uma sátira assim como o engraçadíssimo Professor Hariovaldo?

Fatos interessantes do ano de 2010: Folha e Estadão, que lutam tanto contra a censura e são tão adeptos da liberdade de expressão tiveram dois casos intrigantes de censura. Folha processou Falha, enquanto Estadão demitiu Maria Rita Kehl, pura e simplesmente porque a mesma falou bem do bolsa família e do Lula num jornal que apoiou declaradamente o senhor Rojas na eleição. Opa, Rojas? Quem?

É, outra situação que ao mesmo tempo me deixou nervoso e me fez rir foi o episódio da Bolinha de papel. Bolinha de papel? Não, da fita crepe. Não é fita crepe? Foi uma bigorna que caiu na cabeça do José Serra? Ah sim, agora está explicado, Jornal Nacional. O que faz-me pensar que sou muito burro é que quando o jornal do Bonner e da Fátima passaram aquela matéria de quase dez minutos desmentindo SBT, Lula, Dilma e todo o pessoal do twitter, que ficou o dia inteiro fazendo piadas (aliás, achei muito mais engraçadas que as de experiências culinárias com Activia. Foi esse ano? Ah, é mesmo), eu por alguns minutos acreditei. Acreditei não, mas fiquei em dúvida. E se tiver mesmo um segundo objeto mais pesado? Mas Lucas, você nem conseguiu ver nada naquele video mal filmado com celular, quem viu foi o Ricardo Molina, que, pasmem, é especialista em fonética forense. Depois fiquei sabendo de umas polêmicas envolvendo esse perito usado pela Rede Globo. Também já sabia de algumas coisas envolvendo a Globo, algumas relacionadas as eleições de 89. Nessa semana da bolinha de papel, fui viajar. Entro na internet e me deparo com o blog de um professor desmontando toda a história do JN, que já nem acreditava mais. O professor analizou quadro a quadro o video e percebeu algumas coisas intrigantes. De onde vinha o objeto? Para onde foi? De qualquer forma, cabe dizer que Serra tendo tido reação exagerada ou não (e pobres do que esperam meses para um raio-x, enquanto o tucano vai rapidinho para um hospital particular fazer tomografia), não apoio nenhum tipo de violência. Mesmo tendo sido uma bolinha de papel, quem jogou está errado. E também não concordo com a posição assumida publicamente por Lula de desmoralizar o candidato (que não precisava de comentário do Luis Inácio para ser ainda mais desmoralizado, convenhamos), pois não acho que isso caiba a alguém em posição de Presidente da República.

Os blogs foram um importante contraponto para mim nessas eleições. Não deixei de ler uma coisa ou outra do PIG, mas fiz sempre a leitura de vários blogs que sigo acompanhando até hoje para não cair nas falcatruas da velha mídia. Depois das eleições tivemos o caso da Folha Ombudsman se achando mais importante do que a internet no caso da Wikileaks e achando que tinha exclusividade nos documentos da mesma. Os jornalistas precisam aprender muito. Estão atrasados e não entendem a internet. Se não ficarem ligados nas inovações da rede, vão acabar comentando o tweet de um Fake declarado do Celso Amorim, em seu perfil na rede social. Ou mesmo publicar a ficha criminal falsa de alguém.

Continua (talvez)

Anúncios
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Sobre as eleições 2010, minhas reflexões – Parte 2

  1. Gabriel disse:

    Hahahahahaha, criticar a Breja é minha especialidade. Aliás, esses tempos ela lançou uma capa com o Papai Noel e escrito “Ele Existe”…

    E eu faço parte de uma corrente filosófica que defende que Luiz Pondé, é, na verdade, o Izzy Nobre trollando todo mundo. Mas não desprezo aquela que diz que ele é uma piada do Carlos Latuff.

  2. Mariana Carvalho disse:

    Papai Noel? Isso pq a capa dessa semana foi ”Anjos são pop” ou algo relacionado. Interessantíssimo. O pior foi ler as cartas de leitores q lamentavam a saída do Mainardi (da coluna semanal para mensal). Ok, ele é um babaca. Mas poderia ter sido o Augusto Nunes…o Diogo é o único colunista bonitinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s